Livro: A probabilidade estatística do amor à primeira vista
Autora: Jennifer E. Smith 
Editora: Galera Record
Páginas: 224
Tempo de leitura: 1 dia e meio


Sinopse: Quem imagiria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.
 
É o livro mais fofo que eu li esse ano (depois de ACEDE, claro), a Jennifer trás uma leitura leve, fácil, apaixonante e divertida.
O livro é contado em 3ª pessoa e conta a história de Hadley, uma garota de 17 anos que esta prestes a ver o pai se casar de novo, com uma mulher que ela chama de "the british woman". Atrasada para chegar no aeroporto ela descobre que por 4 minutos perdeu o avião, e devido esses 4 minutos a vida dela muda completamente. Vagando pelo aeroporto, ela que tem claustrofobia, procurando um lugar ela vê uma menino de camisa azul e com migalhas de rosquinha nela (e esse pequeno fato me fez sorrir), Oliver. Ele mostra que como todo britânico ele é fofo, educado e com um sotaque engraçado, Hadley instantaneamente sente algo por ele. Sentados lado a lado no próximo voo eles vão se conhecer melhor e várias coisas acontecem em 7 horas (não irei contar porque ai é spoiler), é uma química incrível. Em Londres eles acabam se separando, e o pesadelo de Hadley de conhecer a futura madastra e de odiá-la vai por água a baixo, e no casamento ela acaba descobrindo algo triste em relação a família de Oliver, e daí ela faz de tudo para encontrá-lo em uma cidade que ele nem conhece.
O final é lindo, fofo e te deixa com vontade de mais! O incrível da historia é que tudo se passa em 24 horas (ACREDITE), o que me leva a perguntar: existe mesmo amor a primeira vista?



Eu me identifiquei muito com a história da Hadley, o jeito que ela se sente quando o pai se separa da mãe, a culpa que ela sente em relação a isso, como ela sustenta a mãe depois disso, me identifiquei muito. E o que mais me surpreendeu é que o livro não é focado no romance dos dois e sim na relação dela com a família, nos valores e na compreensão, no perdão, entendem? Mas sem deixar de lado a "namorizade" deles.
Eu simplesmente amei esse livro e recomendo bastante, gosto dos diálogos, do jeito que eles se olham (sim gente eu imagino cada cena dos livros que eu leio), do jeito natural que eles se apaixonam e claro, a capa do livro é linda, e eu descobri que vai ter o filme (imaginem minha felicidade), e eu preciso ver o Oliver na tela do cinema urgente.

"De repente, parada na esquina no meio de Londres, ela se da conta de que conhecê-lo foi um milagre. Imagine se tivesse chegado na hora certa para o primeiro voo? Ou se tivesse passado todas aquelas horas ao lado de outra pessoa, um estranho que, mesmo depois de quilômetros, continuasse sendo um estranho? A ideia de que seus caminhos quase não se cruzaram a deixa sem ar, como se acabasse de escapar de um acidente numa estrada. A arbitrariedade desse encontro a espanta. Como qualquer outro sobrevivente, sente uma leve onda de gratidão, metade adrenalina, metade esperança."

2 Comentários

  1. Ain fiquei ainda mais com vontade de ler! Amei!
    Beijos

    http://gotasdeesentimentoos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É perfeito, super recomendo. Volte sempre flor :*

      Excluir