Hoje eu vi aquela sua cicatriz de novo. Aquela que você detesta, que quase me matou por descobri-la. Vi aquela manchinha de nascença no teu cotovelo (inclusive, de toda parte do teu corpo é essa pequena e totalmente inocente mancha que eu mais amo). Você me abraçou com tanto carinho que eu fui pra casa com teu cheiro no meu corpo. Peguei você olhando pra mim no chão da sala, com aquele olhar que me incendeia, vi você sorrir tão lindamente hoje que até os anjos aplaudiram. Vi você segurar uma criança com tanto amor e carinho que seus olhos brilharam, e naquele momento eu sabia que você vai ser o melhor pai do mundo! Escutei por horas você falar das suas dores (físicas e psicológicas), escutei você dizer que jamais vai me deixar cair. Hoje eu vi você falar com sua mãe ao telefone e todos os seus problemas desaparecerem, assim, num piscar de olhos. Também lembrei que você me atendeu hoje com uma risada gostosa e dizendo que tinha acabado de acordar e que eu devia ter dormido na sua cama, com aquela camisa preta de sempre. Sentada aqui eu comecei a lembrar de tudo que aconteceu hoje, como você acordou alegre, com a vida, com você mesmo, com o mundo, eu nunca te vi assim tão leve. Hoje você deixou eu te beijar no cantinho da cicatriz, deixou eu passar a mão na sua barba antes de sair da sua cama. Te amar é um mistério, difícil de ser desvendado, mas estou disposta a descobrir cada entrelinha sua, eu realmente estou!

Deixe um comentário