Pronto! Um dia eu eu falei que quando desistisse de você ia ser assim intenso, que no momento que eu enjoasse era o fim. E ele chegou, calado, se arrastando, atrasado como sempre e trazendo consigo um peso que eu não aguentava mais carregar. Até que enfim acabou, o fim chegou. No começo bateu um desespero de te deixar ir, e depois veio a certeza que foi a melhor coisa que eu podia fazer por nós dois. O coração não escolhe quem amar, mas nós podemos sim fazer essa maldita escolha. Por um tempo eu queria que você me quisesse também e hoje olhando pra trás, parece que foi uma eternidade e nem é. Eu enjoei da tua fala, do teu silêncio, do teu jeito, até do teu perfume que ia impregnado em mim pra casa e que eu amava tanto, enjoei assim de uma hora pra outra. Eu acordei, deixei o dia passar e na madrugada fria finalmente descobri que não preciso de ti pra ser feliz, ser quem eu deveria ser. Eu te esperei feito louca, te aguardei como alguém que espera incansavelmente outra no aeroporto, esperei feito o sol pela lua no eclipse, feito Snape por Lilian, mas eu decidi largar tudo, jogar tudo pro alto. Não me entenda mal, tudo isso é culpa do coração, não sua, eu quero te ver bem e feliz, mas eu não sei se sou a mesma de antes, um novo ano chegou e esfregou na minha cara que nada mudaria se eu não mudasse, então eu mudei. E o fim, ele chegou. Sofrido, demorado, verdadeiro e cansado, mas chegou, e me mostrou que só é trouxa quem quer e quem deixa ser. Eu cansei de todo esse mimimi, essa dependência, essa angustia dolorosa, ter que ficar catando os caquinhos depois, ter ilusões do que não é meu e nem será. Você ajudou a me iludir, me apaixonar, mas também me ajudou a superar. É tudo questão de tempo, e só resta saber o que será depois do fim, foi tão rápido que está quase lá, e quando eu descobri te conto como foi. Como foi depois do nosso fim.

Deixe um comentário